Blog

20 jan
0

Márcia ressalta os 2 anos de vacinação contra covid: “Momento histórico”

Nesta sexta-feira, 20 de janeiro de 2023, completam-se dois anos do início da vacinação contra covid-19 em Curitiba. É uma data histórica. Trata-se da maior campanha de imunização já feita na capital.

“A chegada da vacina representou o começo do fim da pandemia. Foi um alívio muito grande para todos”, lembra a deputada eleita Márcia Huçulak. “Essa vacina é um dos grandes feitos da ciência, desenvolvida rapidamente a partir de pesquisas já iniciadas. Isso mostra a necessidade de apoiar a ciência o desenvolvimento de pesquisa.”
Ex-secretária de saúde de Curitiba, Márcia foi responsável por toda a vacinação, bem como por todo o combate à pandemia na capital, até abril do ano passado, quando deixou o cargo para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa.
Ela destaca que a imunização foi — e é — o principal instrumento de controle de uma doença responsável pela mais complexa crise de saúde mundial em pelo menos cem anos.

Esforço e orgulho
Márcia recorda com orgulho a mobilização e motivação da equipe de Saúde da capital.

Outras ações da Márcia enquanto gestora

A ex-secretária lembra que foi um período de grande pressão, que exigiu um esforço excepcional da Secretaria e de todo o sistema de saúde da capital. Destacada pelo prefeito Rafael Greca, Márcia liderou todo esse trabalho.
“Quando a vacina chegou, foi como uma lufada de motivação no enfrentamento da covid, que já estava perto de completar um ano”, conta. “Estava todo mundo muito animado em fazer a vacina chegar o mais rapidamente possível às pessoas.”
“Enfermeira que sou, tive a honra de aplicar na servidora da Saúde Silvana Maria Bora a primeira dose do imunizante na capital”, relata Márcia, que após estruturar toda a campanha foi para a linha de frente aplicar o imunizante.
De acordo com o Plano Nacional do governo federal, as equipes de saúde faziam parte do grupo prioritário de imunização, pela alta exposição ao vírus.
“Foi um momento muito especial. Quem trabalha com Saúde sabia: mais vidas seriam salvas a partir daquela primeira dose.”

5 milhões
De lá pra cá foram mais de 5,2 milhões de doses aplicadas na população curitibana.
Para se ter uma ideia do tamanho deste trabalho, até o início da pandemia, Curitiba, que é referência nacional em eficiência de programas de imunização, aplicava em média 2 milhões de doses por ano de cerca de 20 imunizantes para outras doenças.

Gestão
A fim de dar conta dessa demanda excepcional, Márcia redesenhou toda a estrutura para atendimento da população. Ergueu o Pavilhão da Curitiba no Parque Barigui (instalado em tempo recorde), abriu postos de drive-thru (especialmente importantes para facilitar a aplicação nas pessoas mais idosas) e organizou toda a rede de saúde da cidade para dar vazão rápida ao fluxo da vacinação.
“O resultado que obtivemos em Curitiba é um orgulho profissional que vou guardar para o resto da minha vida”, diz Márcia, que a partir de fevereiro começa seu mandato na Assembleia Legislativa do Paraná.
O trabalho realizado resultou que Curitiba teve um dos melhores resultados no combate à covid do país. “Muitas vidas foram salvas.”

Leia mais
20 jul
0

A Dama de Ferro da Saúde

Perfil publicado na Gazeta do Povo e no portal de Reinaldo Bessa.

https://www.gazetadopovo.com.br/vozes/reinaldo-bessa-vozes/a-dama-de-ferro-da-saude/

Leia mais
11 jul
0

G1: primeiro dia sem internação de covid

https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2022/03/23/apos-dois-anos-de-pandemia-curitiba-registra-1o-dia-sem-internacao-por-covid-diz-secretaria.ghtml

Leia mais
04 jul
0

Lideradas por Márcia, ações de combate à covid salvaram milhares de vidas

Liderado por Márcia Huçulak, o trabalho realizado em Curitiba de controle da covid-19 e atendimento dos pacientes resultou em milhares de vidas salvas.

O resultado pode ser estimado com base na taxa de letalidade da doença na capital paranaense, que ficou abaixo da média nacional e muito inferior a de outras grandes capitais. 

Em resumo: a gestão da pandemia na cidade evitou um número de mortes que poderia ser até o dobro do registrado, caso o resultado na capital paraense tivesse sido o mesmo de outras cidades.

Em Curitiba, a taxa de letalidade ficou em 1,7%, o que quer dizer que houve 1,7 morte para cada 100 infectados pela covid-19. No total, até 28/6/22 ocorreram 8.363 mortes na capital.

Caso Curitiba tivesse registrado a mesma taxa do Rio de Janeiro (3,4%), por exemplo, o número de mortes seria mais que o dobro — ou seja, teria ultrapassado 16 mil, ou cerca de 8 mil mortos a mais além das que ocorrem na cidade.

Curitiba teria quase 2.000 mortos a mais se sua taxa de letalidade tivesse ficado na média nacional (de 2,1%) e não na que conseguiu (1,7%).

“São em momentos como a pandemia que aparece de maneira muito clara a importância da boa gestão de saúde”, diz Marcia que comandou o combate à covid-19 como secretária municipal da Saúde de Curitiba.

“Todas as ações que tomamos tinham o objetivo claro de preservar o maior número possível de vidas. Sabemos a dor e o impacto que cada perda traz para as famílias”, afirma a ex-secretária.

Veja a taxa de letalidade em outras capitais: Rio de Janeiro (3,4%), Fortaleza (3,1%), São Luiz (4%), Belém (3,8%), Recife (2,6%), Porto Alegre (2,3%) e São Paulo (2,1%).

Clique aqui para ver as ações tomadas durante a pandemia.

Leia mais
17 maio
0

Aumento do número de pessoas idosas exige novas políticas públicas de suporte à longevidade

Por Ana Luzia Mikos, da Assembleia Legislativa do Paraná.

O rápido envelhecimento da população exige um novo olhar para as cidades, a sociedade e para políticas públicas voltadas às pessoas idosas. Se hoje essa discussão é destinada a 1,2 milhão de pessoas no Paraná, no futuro beneficiará a todos que chegarem à terceira idade. E não serão poucos: de 11,3% da população atual, para uma previsão de 30% dos paranaenses em 2050, representando 3 milhões de habitantes com mais de 65 anos.

Do cuidado com as calçadas ao impacto no sistema de saúde, a audiência pública “Longevidade e Desafios para as Políticas Públicas”, realizada na Assembleia Legislativa do Paraná nesta quinta-feira (16/5), evidenciou a necessidade de ampliar a percepção em relação às pessoas idosas e, especialmente, de incluí-las no orçamento municipal, estadual e federal.

O encontro foi promovido pela deputada estadual Márcia Huçulak (PSD).

Clique aqui e leia a reportagem completa.

Veja a sessão completa no canal do Youtube.

Galeria de imagens

(Fotos: Valdir Amaral/Alep.)

Leia mais
17 maio
0

Coluna – A importância do cuidado

Na coluna Mulher na Política desta semana, Márcia Huçulak (PSD) destaca a importância do trabalho dos profissionais de saúde durantes crises como as enchentes no Rio Grande do Sul e a pandemia de covid-19 .

Especialmente dos enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, que celebram de 12 a 20 de maio a Semana da Enfermagem.

Clique aqui e veja a íntegra da coluna, publicada no portal O Londrinense.

Leia mais
15 maio
0

AVISO DE PAUTA: Impacto do envelhecimento da população nas políticas públicas é tema de audiência proposta por Márcia Huçulak

A Assembleia Legislativa do Paraná realiza nesta quinta-feira (15/04), a audiência pública “Longevidade e Desafios para as Políticas Públicas”.

A iniciativa da deputada Márcia Huçulak (PSD), que é líder do Bloco da Saúde, vai debater, analisar e propor soluções para o envelhecimento da população.

De acordo com o mais recente Censo do IBGE (2022), o número de pessoas com 65 anos ou mais chegou a 10,9% da população no Brasil – ou 22,2 milhões de um total de 203,1 milhões de pessoas. É o maior porcentual desde que o Censo começou a ser feito, em 1872, e um crescimento de 57,4% em relação ao levantamento de 2010.

No Paraná, são 1,2 milhão de pessoas – ou 11,3% em uma população total de 11,4 milhões.

 “É muito bem-vindo o fato de as pessoas estarem vivendo mais”, diz Márcia. “Mas precisamos garantir bem-estar, qualidade nos vários serviços e dignidade para este nicho da população, o que exige ajustes nas políticas públicas já existentes e também novas políticas.”

O aumento da longevidade afeta o país em várias áreas, como os sistemas de saúde e educação e a previdência social. A transição também acelera o fim do chamado bônus demográfico, que é o aumento da renda per capita em decorrência da redução dos grupos etários economicamente ativos.

Temas que serão abordados na audiência:

  • Demografia em mudança, sobre as tendências nas relacionadas ao envelhecimento da população;
  • Saúde e bem-estar, abordando as necessidades físicas e mentais dos idosos;
  • Urbanismo inclusivo e moradia, tratando de acessibilidade, mobilidade e espaços adequados;
  • Envelhecimento ativo, tecnologia e inovação, trazendo as possibilidades de melhoria na qualidade de vida;
  • Inclusão e combate à discriminação, sobre estratégias contra preconceito e a discriminação.

Entre os especialistas nos vários setores abordados, estarão presentes: José Augusto Callado Afonso (presidente do Ipardes), Julio Takeshi Suzuki Jr. (diretor de pesquisa do Ipardes), Marcos Cabrera (presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, seção PR), Ivete Berkembrock (coordenadora de pessoa idosa da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba), Célia Regina Bim (diretora de projetos do Ippuc) e Larissa Marsolik (coordenadora de políticas para pessoa idosa da secretaria de Estado da Mulher, Igualdade Racial e Pessoa Idosa).

Serviço

LONGEVIDADE E DESAFIOS PARA AS POLÍTICAS PÚBLICAS
Audiência pública

  • Proponente: Deputada Márcia Huçulak
  • 16 de maio de 2024, quinta-feira
  • 9 horas
  • Sala da Comissão de Constituição e Justiça/Auditório Legislativo da Alep.

Leia mais
14 maio
0

Em momentos de crise, enfermagem dá exemplo de eficiência, diz Márcia Huçulak

Em discurso no plenário da Assembleia Legislativa do Paraná nesta terça-feira (14/05), a deputada estadual Márcia Huçulak (PSD) chamou atenção para o preparo demonstrado pelos profissionais de enfermagem durante a crise pela qual passa o Rio Grande do Sul em decorrência das chuvas.

“As verdadeiras habilidades emergem nos momentos de crise, situações em que a eficiência faz diferença entre vida e morte”, disse a deputada, lembrando também do trabalho fundamental realizado pela categoria durante a pandemia de covid-19. “As equipes chegaram à exaustão”, lembrou.

A deputada avalia que o trabalho dos profissionais de enfermagem tem sido inestimável em “cuidar das pessoas e assegurar condições para que todos possam superar este momento devastador”.

“Quis o destino que a Semana da Enfermagem deste ano esteja ocorrendo no mesmo período em que o Rio Grande do Sul padece de uma tragédia nunca antes vista”, disse Márcia.

A Semana da Enfermagem, que acontece entre 12 e 20 de maio, anualmente se propõe a reconhecer, valorizar e debater os rumos do setor, considerado essencial.

Enfermeiras e enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem somam quase 140 mil profissionais no Paraná e quase 3 milhões no Brasil.

 “A ciência do cuidado está nas mãos desses profissionais”, disse ela, formada na área pela PUC-PR. “Não existe cuidado sem enfermagem. Os profissionais são testados permanentemente.”

Márcia lembrou que eventos adversos, como os do Rio Grande do Sul e outros, exigem profissionais cada vez mais bem preparados, “que possam tomar medidas de forma ágil e eficiente”.

De acordo com ela, os profissionais de saúde, em especial os de enfermagem, “estão no topo desta cadeia de preocupações”.

Hospital Vitória

Em seu discurso, a deputada também destacou a reabertura do Hospital Vitória, que fica na CIC, em Curitiba

São mais 76 leitos e 230 profissionais que reforçam o atendimento na capital.

Segundo ela, a Prefeitura de Curitiba continua tendo uma gestão eficiente na saúde e age de forma rápida para garantir atendimento acolhimento a todos.

“A boa gestão de políticas públicas não é para aventureiros que têm soluções mágicas para problemas complexos no discurso, mas não têm a mínima noção de como fazer acontecer na prática”, defendeu.

Leia mais
13 maio
0

Em abertura da Semana da Enfermagem, Márcia Huçulak destaca avanços e desafios da categoria

A deputada estadual Márcia Huçulak (PSD) destacou os avanços, os desafios e a importância do ensino da enfermagem durante a abertura da 85ª Semana Brasileira de Enfermagem no Paraná,  realizada na Universidade Federal do Paraná (UFPR) nesta segunda-feira (13/05).

“A enfermagem avançou muito nos últimos anos. Chegamos bem até aqui”, disse a deputada, formada na área, com mestrado em gestão de saúde pela Universidade de Londres e professora da UFPR por um curto período nos anos 1990.

Segundo a deputada, a categoria passou a atuar de maneira mais intensa para além das funções tradicionais em hospitais, clínicas e unidades de saúde. Citou como exemplo as áreas da enfermagem forense, regulação, controle e avaliação, além do empreendedorismo que começa a ganhar corpo por meio de cooperativas de enfermagem.

“Agora precisamos avançar mais nos espaços de liderança”, disse Márcia.

De acordo com ela, isso permitirá aumentar a contribuição da categoria na gestão de saúde. “Liderança com cuidado é coisa da enfermagem”, afirmou a deputada, representante da Assembleia Legislativa do Paraná no evento que reuniu cerca de 180 pessoas. Também estiveram presentes o secretário estadual da Saúde, Beto Preto; a secretária municipal de Saúde de Curitiba, Beatriz Nadas Battistella; a coordenadora do curso na UFPR, Laura Macedo, a presidente do Coren-PR (Conselho Regional de Enfermagem), Ethelly Feitosa Rodrigues Santos; entre outras autoridades.

Márcia também destacou os 50 anos do curso de enfermagem, completados este ano. “Formação, ensino e pesquisa que trazem grande contribuição para os profissionais e para o avanço da área”, disse.

Relevância na crise

Em artigo publicado nesta segunda-feira, a deputada também chamou atenção para a atuação dos profissionais de enfermagem na crise decorrente das chuvas no Rio Grande do Sul.

“Crises recentes e atuais demonstram claramente a importância desses profissionais para a saúde e para a sociedade, além da necessidade de sistemas de gestão pública estruturados”, afirmou a deputada, lembrando também da atuação da categoria durante a pandemia de covid-19.  

Leia mais
13 maio
0

Coluna: Consciência é receita contra tragédia no trânsito

Deputada Márcia Huçulak (PSD) analisa em sua coluna “Mulher na Política” o impacto dos acidentes de trânsito na sociedade e chama atenção para necessidade de motoristas serem mais conscientes e de o poder público investir mais em transporte coletivo.

Clique aqui e veja a coluna na íntegra, publicada no portal O Londrinense.

Leia mais
07 maio
0

Proposta de Márcia Huçulak: Alep concede título de utilidade pública para ONG que atua em comunidade carente

Deputados da Assembleia Legislativa do Paraná aprovaram projeto de lei encaminhado pela deputada estadual Márcia Huçulak (PSD) que concede o título de Utilidade Pública para organização não governamental Águia de Ouro Futebol Clube para Todos, de Curitiba.

A ONG foi criada em 1993 por Ailson Barbosa, conhecido como Baiano, e atua na região do Capão Raso, oferecendo treinamento de futebol para crianças e adolescentes de 7 a 17 anos.

Segundo Barbosa, a ONG funciona basicamente por meio de doações da comunidade.

Entre outros benefícios, além do reconhecimento formal, o título estadual de utilidade pública facilita o acesso a convênios e parcerias e permite acesso a alguns financiamentos (de programas governamentais e doações públicas).

A aprovação final ocorreu no dia 30 de abril, de forma unânime.

Atividades

Barbosa explica que atende atualmente um grupo de 120 crianças e adolescentes, que treina, dividido, nos finais de semana. Eles recebem alimentação, além de equipamentos para o esporte.

Ao longo do ano participam de pelo menos torneios e de várias competições curtas de fim de semana, nas modalidades salão, campo e futebol de 7.

“Mas meu objetivo é ajudar a formar cidadãos”, explica Barbosa, que trabalha no setor supermercadista, administra a ONG e é o treinador do grupo.

Sobre a origem do Águia de Ouro, ele conta: “Saia para jogar futebol nos fins de semana com os amigos e percebi que muitas crianças ali da Comunidade do Papelão não tinham como jogar. Decidi fazer um projeto pra elas terem atividade nos campos públicos, que Curitiba tem bastante”.

Quando surgem atletas mais interessados em se desenvolver no esporte, Barbosa diz que ajuda a encaminhar para testes em clubes de futebol. Segundo ele, hoje, dois jovens treinam em times do circuito nacional (um no Vasco da Gama e outro em Minas Gerais).

De acordo com o criador do Águia, o que começou com uma ação para oferecer atividade saudável às crianças da comunidade carente da região, passou a atrair interessados de várias regiões da cidade e também da região metropolitana.

Leia mais
30 abr
0

Márcia Huçulak defende combate à covid-19 e diz que saúde é prioridade em Curitiba nos últimos anos

Em discurso durante a sessão plenária desta terça-feira (30/04), a deputada estadual Márcia Huçulak (PSD) defendeu o trabalho realizado em Curitiba para o controle da covid-19 e ressaltou o legado decorrente da pandemia na melhoria da infraestrutura e de serviços ofertados pela rede de saúde.

De acordo com a deputada, toda política pública sempre pode ser aprimorada, mas isso depende de boa qualificação do debate em torno do tema. “É uma crença que tenho: [os políticos] devemos zelar pelo bom debate público”, afirmou, reforçando a importância dessa abordagem num ano eleitoral como 2024.

Márcia se disse preocupada com a veiculação durante o período eleitoral de notícias falsas e ilações a respeito das medidas tomadas durante a pandemia na capital.

“Curitiba teve o melhor desempenho entre as capitais no país”, lembrou. O trabalho realizado na capital foi reconhecido e elogiado por instituições como a Organização Panamericana de Saúde (Opas), o Ministério da Saúde, os tribunais de contas, vários secretários e especialistas, e pela população.

“Além disso, todos os gastos foram auditados pelos tribunais de contas do Estado e da União, além de escrutinados na CPI da Covida do Senado”, afirmou. “Curitiba não teve um centavo de gasto irregular ou fora das boas práticas de gestão.”

Legado

Márcia citou alguns dos principais exemplos de serviços e estruturas criados durante a pandemia que foram incorporados aos sistema.

Como:

  • Criação da Central Saúde Já, que já foi responsável por mais de 1 milhão de atendimentos;
  • Incorporação de 141 leitos de UTI e 310 leitos gerais;
  • A automatização do Laboratório Municipal de Saúde, que permitiu uma ampliação de 320 mil para 680 no número de exames realizados anualmente;
  • Reforço da estrutura de gases hospitalares (que permitiu transformar UPAs em hospitais) e no Hospital do Idoso – medida necessária para abastarecer os respiradores durante a covid;
  • Reforma de 50 unidades de saúde, entre outros.

Saúde sempre

Ex-secretária de saúde da capital, a deputada lembrou que a prioridade para saúde e o cuidados dos gastos estão presentes na gestão do prefeito Rafael Greca, desde que ele voltou ao cargo em 2017.

“Saúde sempre foi prioridade para a gestão Greca”, afirmou. “O orçamento da área bate recorde atrás de recorde, com o maior orçamento nominal e porcentual da história de Curitiba.”

Em 2017 o orçamento foi de R$ 1,75 bilhão e subiu para R$ 3 bilhões em 2023, um crescimento bem acima da inflação. “Nenhuma outra gestão colocou tantos recursos para a saúde.”

Márcia explicou que os recursos permitem o atendimento de qualidade em toda a rede pública da capital, que atendem também um grande número de pessoas de outras cidades (cerca de 40% do total).

“Só no ano passado, as unidades de saúde fizeram 1,8 milhão de consultas médicas e 900 mil consultas de enfermagem, o que dá mais de 10 mil consultas por dia útil”, informou.

“Não se faz este tipo de coisa com bravatas e improviso; se faz com bom planejamento e trabalho sério e continuado”, disse a deputada.

Apoio

Os deputados Luiz Cláudio Romanelli e Reichembach, ambos do PSD, elogiaram o discurso da deputada.

Para Romanelli, o sistema de saúde da capital é uma referência. “Curitiba é diferente, tem rede e sistema que funcionam. Me associo a essa fala da deputada”, disse o líder do partido na Alep.

“O sistema de saúde de Curitiba tem como grande gestor o prefeito Rafael Greca e teve a senhora [Márcia Huçulak] como secretária no pior momento para a história da saúde [a pandemia de covid”, afirmou.

Reichembach, por sua vez, destacou o histórico de gestora da deputada. “Acompanho seu trabalho desde quando era prefeito de Francisco Beltrão e também, claro, durante a pandemia, que a senhora conduziu com muita responsabilidade e personalidade”, afirmou.

Leia mais
26 abr
0

Em encontro das Procuradorias da Mulher, Márcia Huçulak defende mais engajamento e representatividade feminina

A deputada estadual Márcia Huçulak (PSD) defendeu nesta quinta-feira (25/04) a realização de ações contínuas, mais engajamento e o aumento da representatividade feminina nos espaços de poder.

Ela participou do 5º Encontro Estadual das Procuradorias Especiais da Mulher do Paraná, realizado na Assembleia Legislativa do Paraná.

O evento reuniu representantes das 153 procuradorias do estado, além de deputadas, representantes da sociedade civil e autoridades como a secretária estadual da Mulher, Igualdade Racial e Pessoa Idosa Leandre Dal Ponte, a primeira-dama do estado Luciana Saito Massa e a delegada da Polícia Civil Luciana Novaes.

“É importante que mulher apoie mulher”, disse a deputada, reforçando que a busca por mais equidade, contra violência de gênero e de defesa de direitos deve ser constante. “As lideranças femininas reunidas aqui são faróis a iluminar o caminho de todas as demais. Podemos mudar coisas que ainda precisam ser mudadas.”

Ela lembrou que, apesar de ser maioria na população (no Brasil e no Estado), ainda há sub-representação de mulheres nos espaços de poder. “Eventos como esse trazem uma contribuição importante nessa luta”, disse a deputada, notando que o estado conta uma população de 6 milhões de mulheres.

De acordo com a deputada, muitas mulheres ainda nem sequer têm consciência ou mesmo a oportunidade de conhecer todo seu potencial de vida, já que sofrem as dificuldades inerentes à falta de equidade de gênero. Como exemplo disso, está a sobrecarga de trabalho profissional e doméstico e o preconceito, que muitas vezes atrapalha o progresso na carreira e a participação mais efetiva na política, por exemplo.  Além disso, a violência contra mulheres ainda é muito presente na sociedade, lembrou.

Como forma de reverter essa situação, Márcia diz que “devemos todas ter consciência da necessidade de termos mais mulheres em todos os espaços de poder e de decisão”.

O encontro

O encontro reuniu representantes da Bancada Feminina, como as deputadas Cloara Pinheiro, Fernanda Francischini e Cantora Mara Lima. “Todas são muito autênticas em sua forma de atuar na luta pelas mulheres”, afirmou Márcia.

Ela chamou atenção para o fato de a bancada, composta pelas dez deputadas da atual legislatura, atuar unida nas questões femininas, independentemente dos partidos a que pertencem. “Assim temos conseguido bons avanços.”

Um exemplo é a recente promulgação do Código da Mulher Paranaense. A nova legislação consolida 99 leis estaduais relacionadas às mulheres, dando mais transparência e facilitando o acesso da população.

Clique aqui e saiba mais.

Leia mais
23 abr
0

Márcia Huçulak integra nova frente parlamentar da Alep

A deputada estadual Márcia Huçulak (PSD) participou nesta terça-feira (23/04) do lançamento da Frente Parlamentar do Segmento de Materiais de Construção na Assembleia Legislativa do Paraná, coordenada pelo deputado Gugu Bueno e da qual ela passa a fazer parte.

Márcia destacou a importância econômica do setor, que é um grande gerador de emprego e renda. “Material de construção é insumo utilizado por muita gente praticamente todos os dias, necessário para construção, reformas e desenvolvimento das cidades e, como bem sabemos, dos imóveis onde vivemos e trabalhamos, sejam do tamanho que forem”, afirmou.

De acordo com a deputada, a iniciativa estreita os laços da Assembleia com a população e setores econômicos,  o que é importante para o encaminhamento das demandas da sociedade.

Os objetivos da nova frente são, entre outros:

  • Acompanhar e fiscalizar programas e políticas públicas.
  • Aprimorar a legislação.
  • Promover audiências públicas para debater.
  • Impulsionar políticas públicas, sociais e econômicas eficazes.

Clique aqui e saiba mais.

Leia mais